quarta-feira, 14 de julho de 2010

Vá em busca do que se perdeu!

Se analisarmos o contexto de Lucas 15, veremos que Jesus conta três parábolas para falar de um só assunto. Jesus conta três parábolas para falar sobre aquilo que se perde. Se você reparar bem, você vai notar que tudo o que se perdeu estava dentro de um contexto semelhante:

  ü  A ovelha se perdeu das outras ovelhas (Lc 15.3-7)
  ü  O filho abandonou os seus entes queridos; seu pai e irmão (Lc 15.11-32)
  ü  A moeda foi perdida das outras moedas (Lc 15.8-10)



Diante dessas três parábolas, podemos fazer uma observação interessante: O lugar de onde foi perdido ou desgarrado (a ovelha, o filho, e a moeda), representam um lugar seguro, veja:

ü  No caso das ovelhas, elas estavam num aprisco construído no deserto.
ü  No caso do filho, ele estava na casa confortável de seu pai.
ü  E no caso da moeda, ela foi perdida das mãos de sua proprietária.

A leitura da parábola da dracma perdida nos coloca diante de um simples acontecimento doméstico, mas nos leva a refletir sobre alguns aspectos importantes sobre perdas na vida cristã. Ela conta a história de uma mulher que possuía dez moedas. Um dia deu falta de uma delas. A moeda estava de posse da mulher e foi perdida dentro da própria casa, ou seja: a moeda estava na casa, mas estava perdida. Ao dar falta desta moeda, ela imediatamente colocou em ação um plano para encontrá-la. Muito determinada, iniciou imediatamente a busca por todos os cantos da casa. Acendeu uma lamparina para iluminar todos os aposentos e ter luz perto dos olhos para enxergar bem, afastou os móveis, varreu toda a casa para vasculhar bem em todos os lugares. Na verdade esta mulher empreendeu uma cuidadosa procura, e só sossegou depois de encontrar o que havia perdido.

Mas o que é uma dracma? E Por que tanto empenho desta mulher em sua busca?

A Dracma era uma moeda antiga de prata, que embora pequenina, tinha um grande valor para uma família de poucos recursos, porque representava o suficiente para alimentar uma família por um ou dois dias. Para você ter uma noção disso, foi calculado que uma dracma valia aproximadamente R$ 60,00 (sessenta reais), ou seja, o que essa mulher perdeu era algo de muito valor, era algo precioso em sua vida.

O que se deve fazer diante da perda de algo precioso na vida?

Muitos aceitam a perda de algo precioso com muita tranqüilidade, aceitam passivamente a situação estabelecida, Outros até esboçam uma reação as perdas, mais é só mais uma idéia sem atitudes. Mas, outros agem como esta mulher da parábola, tomam as devidas providências, arregaçam as mangas, colocam sua fé em ação, buscam forças de onde não possuem, e procuram incansavelmente até encontrar aquilo que perderam. Temos uma capacidade surpreendente de nos acomodarmos diante das perdas na vida. Tal acomodação, às vezes, acontece gradativamente, sem que a percebamos, o que nos trás prejuízos inimagináveis ao longo do tempo de nossa vida com Deus. Outra coisa: nós também gostamos muito de minimizar nossas perdas. Dizemos: "é assim mesmo, isto acontece com qualquer um". Com tal atitude sufocamos qualquer expectativa e não nos dispomos a lutar para mudar essa condição.


O que você tem perdido ao longo de sua vida cristã?

Quem sabe você perdeu o Ânimo

Mais o salmista Davi nos dá um conselho no (Sl 27.14) -  “Espera pelo SENHOR, tem bom ânimo e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo SENHOR”.

Quem sabe você perdeu o primeiro Amor.

A Igreja de Éfeso foi repreendida por Jesus por isso: (Ap 2.4,5) - "Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas." Se você perdeu o primeiro amor, ouça o que Jesus diz: Arrepende-te e volta!

Quem sabe você perdeu mesmo foi o caminho.

Aquele que teve uma experiência pessoal com Cristo, que experimentou uma profunda transformação de vida, no seu caráter, no seu modo de viver, tem agora um compromisso com Deus e com a Sua Palavra: o de permanecer fiel. Mas, infelizmente, muitos ficam prostrados no meio do caminho, como a semente semeada na beira do caminho que não germina e nem produz frutos. A bíblia nos diz em (1 Co 10.12) -"Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia." Se perdermos o caminho, precisamos voltar ao Senhor e rasgarmos o nosso coração diante dele. Se perdermos o caminho, devemos fazer o que o escritor de Hebreus nos aconselha: "Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna." (Hb 4.16).

A mulher da parábola não se conformou com a perda de sua moeda. Embora possuísse as outras nove, ela queria preservar tudo o que tinha. É necessário que nós também não nos acomodemos diante de nossas perdas.

Vá em busca do que se perdeu e não se acomode neste ano de 2010!

Pr. Flavio Muniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...