quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A fragilidade da fé - Parte 1

Quem são aqueles que vencem na vida?

Os espertos – Esses vencem, pois levam vantagem em tudo, possuem uma solução rápida para as questões mais complexas da vida.

Os fortes – Esses vencem, pois costumam ser valentes nos momentos de tribulação, não dão o braço a torcer, e assumem com valentia o controle de qualquer situação da vida.

Os sortudos – Esses vencem, pois acreditam que o fator sorte é importante para que tudo se torne a favor.


Penso eu que vencer na vida é o objetivo de todos aqueles que amam viver a vida de forma plena. E para os cristãos não é diferente, Jesus disse que nos daria vida e vida em abundância. E a Bíblia com toda clareza e objetividade nos diz quem são os vencedores. Sabe quem são os verdadeiros vencedores segundo a Bíblia?

ü  Todos aqueles que possuem fé em Deus (Rm 1.17; 1Jo 5.4-5)

A Bíblia é clara quando responde o que é a Fé em (Hb 11.1), ela diz que fé é a certeza das coisas que eu espero e a convicção de fatos que eu não vejo, portanto Fé significa confiança naquilo que Deus prometeu em sua palavra. E a fé do cristão está baseada em um sólido fundamento, A palavra de Deus, pois se Deus disse algo, então nós podemos confiar totalmente. A Bíblia também ensina que o cristão verdadeiro é aquele que entende que sem fé, não existe vida cristã, porque o cristão necessariamente anda e vive por fé e não pelo que vê (2Co 5.7).

Para os cristãos os vencedores são os que crêem, que possuem fé, que andam por fé, e que confessam essa fé em sua vivência diária.

Porém mesmo a bíblia afirmando que somos mais que vencedores, há momentos em que nos sentimos mais que derrotados. Existem momentos na vida em que a fé que temos parece se tornar frágil, fraca, e até mesmo nula diante das circunstâncias que atravessamos. E esta fragilidade nos esmaga contra os muros dos nossos argumentos sentimentais. Ficamos a nos perguntar: O que está acontecendo comigo? Porque não sinto a minha fé operosa? Porque sinto minha fé enfraquecida? Deus parece estar distante por minha culpa. Porque não consigo vencer minhas dúvidas e minhas incertezas?

Paulo declarou em (Rm 1.16) que o evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê! O evangelho, a Palavra de Deus, é o poder de Deus para minha vida, se de fato eu creio nela! Mais quando a nossa fé está fragilizada, a impressão que dá, é que este poder se anula, que a certeza vira dúvida, que a segurança vira insegurança, e que minhas convicções sobre Deus ficam confusas, pois os olhos da fé estão bem embaçados.

A fragilidade da nossa fé nos leva a reconhecermos nossa incapacidade para crer em Deus em momentos de aperto, de aflição, e de tribulação.

E ter a fé fragilizada nunca é bom, nunca é saudável, porém significa que ela precisa de cuidados, assim como uma pessoa doente precisa. Temos que ter a consciência de que nós não podemos perder a fé, mas ter a fé fragilizada é um diagnóstico de uma patologia espiritual que precisa de tratamento.

E a fé, ela não se torna fragilizada de um dia para o outro, ou de modo instantâneo, não. Para que a fé se fragilize, se faz necessário a manifestação de alguns fatores que a levam a isso. E mais a frente nós vamos ver esses fatores, mais agora eu quero que você volte ao texto comigo (Mc 9.14-29) para que nós possamos analisar algumas virtudes do personagem essencial dessa mensagem, ou seja, o pai do menino possesso de um espírito maligno:

Atitude – Esse pai deve ter feito de tudo para livrar o seu filho desse problema, inclusive nós vemos no texto que um de seus últimos feitos foi levar seu filho aos discípulos de Jesus (Mc 9.17-18).

– Ele possuía fé! Ainda que esta fé fosse natural, pois ele deve ter levado esse menino ao médico, ao psiquiatra, quem sabe as rezadeiras de plantão. Aliás todos nós possuímos a fé natural. Mas, esse pai também possuía uma fé que nós chamamos de fé salvadora – Fé salvadora é aquela que nos leva a crer em Deus, esse pai também a possuía, pois ele foi até Jesus buscar a libertação de seu filho depois de uma busca muito árdua e muito longa.

Perseverança – Imagine a luta desse pai durante todos esses anos vendo seu filho ser envergonhado, sendo chamado de louco (lunático), tendo que socorrer seu filho em meio a chamas, ou quase afogado num rio, pois esse espírito segundo o pai o lançava no fogo e na água querendo o matar.
Eu penso que esse pai em seu íntimo tinha uma sensação de impotência muito grande, pois ele sabia que a cura do seu menino estava bem além de suas mãos. Mais mesmo assim ele não deixou de continuar, de dar prosseguimento ao seu objetivo de livrar seu filho daquele espírito maligno, ele não deixou de ter esperança de ver dias melhores para ele e para o seu filho.

Oração – Esse pai aflito mesmo não sabendo perfeitamente quem era Jesus, faz uma oração, na verdade uma súplica comovente no ápice do seu sofrimento dizendo: “Se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos”. (Mc 9.22). Esse pai também recorreu ao sobrenatural para que seu filho obtivesse a cura.

Eu fiz questão de lhe mostrar as virtudes desse pai para que nós possamos perceber que essas virtudes são as mesmas que todo crente deve possuir: Atitude, fé, perseverança e oração.

E isso significa dizer que, se a fé desse pai estava fragilizada mesmo ele possuindo todas essas virtudes, eu lhe pergunto: porque a fé de um cristão não pode ficar fragilizada? 

continua...

Pr. Flavio Muniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...