sexta-feira, 12 de março de 2010

Eu permaneço na doutrina

"Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho" (2Jo 9).

No dia 18 de abril de 1521, Martinho Lutero foi convocado a Worms para prestar contas do seu ensino bíblico ao então Imperador Carlos V e aos princípes da Alemanha. Nesse episódio, Lutero foi instado a retratar-se com Roma para que sua comunhão com a Igreja Católica não fosse abalada. Nesse dia, depois de dois dias de debates, aonde estava em jogo a autoridade das Escrituras, Lutero exclamou: " Já que me pede uma resposta simples, darei uma que não deixa margem a dúvidas: A não ser que alguém me convença pelo testemunho da Escritura Sagrada ou com razões decisivas, não posso retratar-me. Pois não creio na infalibilidade do Papa, nem dos concílios, porque é manifesto que frequentemente se tem equivocado e contradito. Fui vencido pelos argumentos bíblicos que acabo de citar e minha consciência está presa na Palavra de Deus. Não posso e não quero revogar, porque é perigoso e não é certo agir contra sua própria consciência. Que Deus me ajude. Amém!"



Nesse dia raiou um novo dia para a cristandade de então. Lutero reafirmou que a Bíblia é autoridade suprema sobre sua Igreja e suas autoridades. E disse ainda que só poderia se retratar com Roma, caso fosse convencido pela Bíblia que estava errado.Em (2 Jo 9) está escrito: "Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho."

Para que Lutero defendesse sua tese de então, ele exclamou: "Fui vencido pelos argumentos bíblicos que acabo de citar e minha consciência está presa na Palavra de Deus". Lutero por ser um amante da palavra de Deus, já tinha experimentado se desarmar completamente dos seus argumentos para que os argumentos Bíblicos o vencesse. Sua mente, devido sua experiência íntima com Deus já se tinha levado cativa a Cristo. Lutero sabia que a sã doutrina, a doutrina de Cristo, era o verdadeiro elo entre ele e Deus. João disse que:"...aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus". Aqueles que não permanecem fiéis a Palavra de Deus, a doutrina de Cristo, não podem expressar que estão em Deus. Aqueles que não querem continuar vivendo na "simplicidade do evangelho de Cristo" como disse Paulo, não vão poder nunca encontrar a Deus. Todo aquele que busca obedecer a Deus, e a sua palavra, e a sua doutrina e permanece fazendo isso, esse pode dizer que possui uma fé em Deus verdadeira.

Que possamos permanecer firmes na fé, reafirmando a autoridade das Escrituras e a Infalibilidade da Bíblia!

Você já experimentou ser vencido pelos argumentos Bíblicos? Sua consciência está presa a Palavra de Deus? Se isso ainda não aconteceu, pode ser que você ainda esteja vivendo fora da doutrina de Cristo (ultrapassando-a), ou nela não permanecendo, pense nisso!

Bendita reforma, pois com ela aprendemos a não negociar o que temos de mais precioso “A inerrante e infalível Palavra de Deus"!

Sola gratia, Sola Fide, Sola Scriptura, Solus Cristus, Soli deo Gloria!
Pr. Flavio Muniz

Um comentário:

  1. Mano,

    Excelente reflexao, principalmente nestes dias onde milagres legitimam doutrinas confusas e unçoes estranhas.

    Que Deus te abençoe mais ainda, e que este blog seja um oásis em meio a tanta aridez virtual.

    Fraternalmente,

    Leonardo.
    Púlpito Cristao

    ResponderExcluir

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...