sexta-feira, 16 de março de 2012

Um pedido e uma Palavra


(Jo 4.46-54) - Nós costumamos a julgar como coisa normal o fato de Deus curar uma pessoa quando ela busca e clama por isso. Nós costumamos a julgar como coisa normal o fato de Deus responder uma oração cheia de sinceridade e fé. Nós também costumamos a julgar como normal o fato de Deus sempre realizar as coisas em função de seu poder e de nossa fé. E a Bíblia assim nos ensina, ela está recheada de textos a esse respeito:
“Se creres verás a glória de Deus”
“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á”
“Tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no filho”


Porém existe uma coisa que nós nem sempre julgamos como normal, ou seja, o fato de Deus não nos responder conforme as nossas perspectivas e sim simplesmente com uma Palavra.

ü  Quantos não são aqueles momentos de aflição, nos quais o que pedimos a Deus, é que ele simplesmente faça alguma coisa, afinal ele poderoso para fazer abundantemente muito mais além de tudo quanto pedimos ou pensamos.

ü  Quantos não são aqueles momentos em que a única coisa que queremos, é que Deus coloque suas mãos, e pronto, está tudo resolvido. A porta está aberta, a doença sarou, o choro cessou, tudo foi para o seu devido lugar.

ü  Quantos não são aqueles momentos em que, o que nós queremos é simplesmente que Deus coloque suas mãos, e pronto! está tudo resolvido. A benção chegou, o testemunho foi dado, o nome do Senhor foi glorificado.

Porém é justamente nesses momentos, que Deus nos surpreende, e nos responde simplesmente com uma PALAVRA! Sabe porque?

Porque ele é Deus que não age dentro da perspectiva humana, e sim de acordo com seu poder e sua autoridade. Se ele quiser fazer, ele faz. Se ele não quiser fazer, ele não faz. Porém se ele quiser responder a alguém com uma PALAVRA, acredite, essa PALAVRA vai ser o remédio, vai ser a solução, vai ser a resposta correta.

Por estarmos tão acostumados aos milagres que Deus realiza através de nossa fé e oração, nós começamos a achar que Deus somente responde oração, realizando milagres e maravilhas, feitos espetaculares, e etc. Quando na verdade uma PALAVRA da parte de Deus em muitos momentos vale muito mais que um feito de suas poderosas mãos.

Vamos voltar ao texto (Jo 4.46-54)

O OFICIAL – Soube que Jesus tinha vindo da Judéia (Jesus permaneceu dois dias com os samaritanos) para a Galiléia, e então ele veio de Cafarnaum para Caná da Galiléia para interceder por seu filho que estava á beira da morte. Uma confirmação da gravidade da febre daquele goroto, da urgência da situação, está no fato de que aquele oficial (pai) caminhou cerca de 25-30 km de viagem num só dia, cerca de seis horas.

Diante do pedido daquele Pai desesperado:

JESUS – pareceu agir estranhamente, dizendo que se eles não vissem sinais e prodígios não iam crer (Jo 4.48) - O Pai e a multidão ali reunida. Na verdade dentro de sua palavra, Jesus queria saber se aquele oficial aflito vinha até ele com motivações mais profundas do que os desejos insaciáveis dos Galileus por milagres espetaculares que viram em Jerusalém (Jo 4.45). Diferentemente dos Samaritanos que creram em JESUS por causa da sua Palavra (Jo 4.41,42).

Se coloque agora no lugar daquele Pai aflito, o que você responderia para Jesus, diante de uma palavra como essa que Jesus deu?

Quem sabe murmuraríamos: “Porque o Senhor não realiza logo o milagre, como fez de outras vezes?, pare de conversa fiada, pois eu já creio em ti Senhor e quero testemunhar! Senhor, eu só quero esse milagre, mais nada!”
                                                              
(Jo 4. 49) A resposta do Oficial diante da Palavra de Jesus, demonstrou que apesar da urgência, ele queria Jesus mesmo, e não um espetáculo do qual ele pudesse participar. Sua resposta não foi para forçar e apressar Deus a fazer simplesmente o que ele queria, e sim um ato de desabafo e confiança: “desce antes que meu filho morra”. Seu gesto demonstra que ele queria Jesus para a cura do seu filho pela sua convicção, pela sua fé, pela certeza de sua esperança, e não para a satisfação de seus desejos pessoais e nada mais (é isso que nos ensina o (versículo. 50).

A resposta de JESUS no (vs 50) deve ter desagradado profundamente aqueles que somente procuravam por SINAIS E MARAVILHAS, pois Ele não foi com o oficial do Rei como lhe fora solicitado e nem deu uma prova tangível de que a cura aconteceria. JESUS simplesmente o despediu com uma PROMESSA baseada em sua PALAVRA (Jesus lançou uma semente para germinar).

Quantos não chegam à Igreja ou já estão na Igreja, querendo somente um milagre, e mais nada, querendo somente um toque de Deus, um sinal, um prodígio, uma manifestação poderosa, um feito tremendo. E em muitas vezes saem daqui dizendo para si mesmos: “Porque Deus não realizou meu milagre, eu só queria o milagre, e Deus me deu uma PALAVRA. COMO SE DISSESSEM: “DEUS MAIS UMA VEZ SÓ ME DEU UMA PALAVRA”. Como se a Palavra não fosse nada, como se a Palavra não fosse a resposta, como se a Palavra não fosse o remédio, a solução, a semente para germinar.

Deus não está nem um pouco preocupado se ele vai lhe desagradar ou não com suas respostas. Deus não está nem um pouco preocupado se você concorda ou não com suas PALAVRAS, porém ele está preocupado sim, em fazer você entender que NEM SÓ DE PÃO VIVERÁ O HOMEM, MAIS DE TODA PALAVRA QUE PROCEDE DA BOCA DE DEUS, E ISTO PARA QUE VOCÊ TENHA FÉ, VIVA POR FÉ, ANDE PELA FÉ, E PELA FÉ VOCÊ ALCANCE O MILAGRE.

O que Jesus queria que este Pai e todos entendessem, é que era necessário uma fé realmente sólida na sua palavra para que o milagre acontecesse, por isso ele disse: “vai teu filho vive”.

O OFICIAL – Teve duas atitudes que alegraram Jesus, e que estavam de acordo com aquilo que Jesus queria lhe ensinar sobre fé: Ele Creu e Partiu. Com isto vemos que JESUS não apenas despertou a sua fé, como também o levou a ter fé na fé de JESUS, porque Jesus acreditava na Palavra que proferiu, e queria que aquele Pai cresse também.

Sabe o que acontece com muitos?

Freqüentam a Igreja, falam bem da igreja, são acolhidos pela igreja, quem sabe já são membros, porém quando estão aqui e vão embora somente despedidos por uma Palavra, eles pensam: e o milagre? Cadê o resultado, cadê a recompensa para o meu sacrifício? Eu quero uma religião que me dê resultados rápidos, como a aplicação do meu dinheiro está dando. Aí eu venho aqui, oferto para igreja, ajudo até mesmo alguns membros da igreja, peço meu milagre, e ele não vem, e mais uma vez eu saio com uma PALAVRA.

Entenda: essas pessoas, são pessoas que só partem em direção ao objetivo, ao milagre, mais não crêem. Jesus disse: “vai teu filho vive”, e o oficial CREU E PARTIU. Ele não somente partiu doido atrás do milagre, mas creu no seu coração na palavra que ouviu.

O que Deus está lhe dizendo é que você precisa crer na sua Palavra, se entregar a ela para fazer a vontade dele, servir a ele, se apoiar nas promessas dele, aí sim sua fé será verdadeira e sólida, e o milagre que você tanto espera será conseqüência disso!

O desfecho

(vs. 52,53) - Impossibilitado de regressar antes da hora sétima (13 horas), aquele oficial só chegou de volta a Cafarnaum, á noite, sendo obrigado a gastar um longo tempo de volta para casa. No dia seguinte (obs.: ao cair da tarde o dia muda) ainda de volta, seus servos o encontram para o dizer que seu filho vivia. Quando soube que a febre deixou seu filho exatamente no horário do dia anterior quando se encontrou com Jesus, o oficial CREU (aumentou sua fé, creu mais ainda), bem como todos da sua casa. O horário em que o milagre aconteceu, nos ensina que a Palavra veio no tempo certo, que foi eficaz e precisa, que não voltou vazia, mais cumpriu o seu objetivo. E seu objetivo era gerar fé, gerar uma confiança obediente para que o coração se enchesse de esperança de que o milagre viria.

JESUS em lugar de realizar um milagre para gerar fé, preferiu gerar fé no coração do OFICIAL pela Palavra, para que depois ele provasse do milagre!

Jesus disse a Tomé: “Mais bem-aventurados os que não viram e creram” (Jo 20.29). Era como se Jesus dissesse: “Tomé, porque você não acreditou na minha Palavra, porque você viu, você creu”.

Aquele homem fez um Pedido, recebeu uma Palavra. A Palavra gerou fé no coração dele, e o milagre aconteceu justamente no intervalo entre ele crer e partir!

Quando ele creu pela Palavra, a fé o impulsionou a caminhar (a partir) em direção ao milagre; com as motivações corretas, a descansar diante daquele problema e a confiar em Deus em meio a insegurança. Aí antes mesmo de regressar a sua casa, a notícia veio, TEU FILHO VIVE!

Uma Palavra pode produzir muitos frutos em sua vida, creia nisso!

Pr. Flavio Muniz

Um comentário:

  1. Olá pr. Flávio

    Mensagem edificante, que o Senhor continue te usando neste blog. Fica com Deus.

    ResponderExcluir

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...