sábado, 24 de março de 2012

Hoje é tempo de esperança!


(Mq 7.1-7) - O mundo vive dias de crise, perplexidade e confusão em meio a este início de século vinte e um. Os ataques terroristas em vários países, á ameaça da terceira guerra mundial encabeçada pelo Irã e pela coréia do norte, a guerra civil na síria e em vários países do oriente médio, a crise econômica, os homens suicidas que atiram sem piedade em crianças dentro de escola (Toulose na França 2012). A violência (implantação de Upps) e a corrupção tomam conta de todos os setores da sociedade (fraude das licitações de hospitais públicos). No cenário religioso, não preciso nem dizer quantos líderes foram atingidos por pecados, como: corrupção moral, ganância, e poder. Infelizmente as últimas notícias a respeito de líderes religiosos  é de corar de vergonha (estamos assistindo na TV a briga entre os grandes tele evangelistas do Brasil , Padres pedófilos etc ).


Todo este cenário mundial que reflete luto, tristeza, angústias e crises, faz com que seja abalada a esperança de muita gente. A Bíblia diz em (Pv 13.12) “que a esperança que se adia faz adoecer o coração”. Quantas pessoas estão doentes no coração, porque não conseguem contemplar a solução para as suas crises pessoais, suas crises espirituais, profissionais, financeiras, e sentimentais. O tempo passa, a situação aperta, o choro rola pelo rosto, e a esperança é adiada. Não se vê solução, não se vê expectativa de melhora, há muito tempo não se ouve boas notícias, a alegria deu lugar à tristeza, a confiança deu lugar ao desespero, a fé deu lugar à incredulidade, a certeza deu lugar à dúvida. Que quadro triste traz a desesperança nos corações doentes.

Ao nos depararmos com todo este quadro caótico, a pergunta que nos fazemos é: Será que é possível ter esperança? Será que é possível trazer de volta a esperança que Deus nos promete em sua Palavra? Ou quem sabe você se pergunte: É possível ter esperança em meio a tanta desgraça acontecendo ao nosso redor?

Antes de responder essas perguntas, eu queria lembrar a igreja, que vários personagens bíblicos passaram por momentos de desesperança e dor, veja: Nosso irmão Jó viveu um tempo assim: “Os meus dias são mais velozes do que a lançadeira do tecelão e se findam sem esperança (Jó 7.6)”. O profeta Jeremias também passou por isso: “Então, disse eu: já pereceu a minha glória, como também a minha esperança no SENHOR. (Lm 3.18). O próprio Jesus em sua natureza carnal viveu momentos assim: “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? (Jo 12.27a).

Voltando a Miquéias, ele foi contemporâneo de Isaías e profetizou durante os reinados de Jotão, Acaz e Ezequias. Seu nome significa: “Quem é como Jeová”, ele nasceu num vilarejo chamado Moresete-Gate a 40 km de Jerusalém. Era homem do campo, talvez um lavrador. Em sua profecia ele defende a causa dos camponeses oprimidos e se põe contra os ricos arrogantes. Seus ensinos em favor da verdadeira religião se assemelham aos de Tiago. Miquéias ergueu a sua voz para denunciar os pecados de Jerusalém, capital de Judá, reino sul, e também de Samaria capital de Israel, reino norte.

Essas cidades deveriam ser as guardiãs da fidelidade ao Senhor. Nelas se achava o centro do sacerdócio e do culto organizado. Porém ao contrário do que se poderia esperar, nelas reinava a injustiça, a prostituição espiritual, a opressão, a violência, o engano, a corrupção, a cobiça, o suborno, a desonestidade, o apoio aos falsos profetas. Devido a tudo isso Miquéias, além de denúncia contra essas transgressões, trás em sua profecia um anúncio catastrófico da desolação de Judá e também de Samaria. 

Se compararmos os recentes acontecimentos com as profecias de Miquéias cerca de 700 anos antes de Cristo, veremos que o quadro de desesperança e dor é o mesmo. Mas, chegando ao capítulo sete vemos o profeta nos mostrando um quadro de grande decadência moral e espiritual de toda a nação de Israel. Miquéias começa dizendo que não consegue achar frutos entre as árvores que em sua estação própria deveriam dar. Numa clara referência a decadência espiritual e moral do povo. A partir daí ele lista todo cenário caótico que seus olhos podiam contemplar:

Fala sobre decadência espiritual - Diz que não há mais piedosos e nem quem seja reto. (vs. 2)
Fala sobre a Violência – derramamento de sangue, caçar com redes. (vs. 2b)
Fala sobre suborno e corrupção das autoridades. (vs. 3)
Fala sobre a infidelidade entre os homens (vs. 5)
Fala sobre a crise familiar (vs. 6)

Analisando somente o capítulo sete, eu lhe pergunto: Nosso cenário não é o mesmo? Sim. E será que Miquéias não se perguntava a mesma coisa que nós nos perguntamos: Será que é possível ter esperança? Será que é possível trazer de volta a esperança que Deus nos promete em sua Palavra? É possível ter esperança em meio a tanta desgraça acontecendo ao nosso redor? Certamente o profeta se perguntava a respeito disso.
Mas, Miquéias não somente profetizou juízo contra os pecados do povo e condenação das nações que Deus amava, ele também falou da misericórdia divina. Pois, em Miquéias nós vemos que A disciplina é um ato responsável do amor divino. Pois, Deus disciplina seu povo, mas não desiste dele. O Deus que disciplina também restaura. O Deus que manda para o cativeiro também liberta do cativeiro. O Deus que faz a ferida também aplica o bálsamo da cura.

É por isso que Miquéias declara no versículo sete do capítulo sete: “Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá”.

A despeito de suas palavras de juízo e condenação ao povo do Senhor, a despeito do cenário caótico ao seu redor, a despeito do cativeiro iminente das nações que Jeová amava, a despeito da decadência moral e espiritual do povo, Miquéias trás uma Palavra de Esperança. Uma palavra de esperança em meio a todo caos instalado, em meio a toda crise, em meio a toda desesperança, em meio a toda decadência, em meio a toda perplexidade e confusão. Para Miquéias, a esperança poderia sim se manifestar em meio a qualquer cenário caótico. Para Miquéias, a esperança tinha endereço certo. A esperança não precisava esperar. A esperança jamais poderia morrer, caso nossa esperança estivesse na pessoa de Deus. Na revelação da pessoa que Deus é. Na revelação da Palavra que Deus traz.

Na Bíblia o tema “Esperança” é muito abordado tanto no A.T como no N.T, vejamos:

yahal – esperar, aguardar - é aplicado a Deus. O salmista intencionava exatamente isto ao dizer: “Espere Israel no SENHOR, pois no SENHOR há misericórdia; nele, copiosa redenção. (Sl 130.7).“Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre”. (Sl 131.3).

Esta é a esperança demonstrada pelo profeta Miquéias em meio a desesperança de seu tempo. Todavia em meio a tal situação a posição do profeta era clara: “Eu, porém, olharei para o SENHOR e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá. (Mq 7:7). A esperança de Miquéias é a mesma de todos os justos, ou seja, Deus não é somente o justo juiz, Ele é, acima de tudo, o Salvador em quem o profeta espera. Desta maneira o que se espera não é algo fruto da imaginação humana ou algo que é despertado por fantasias proféticas e sim algo que é fruto daquilo que Deus é como pessoa e daquilo que Ele se propõe a fazer.

As palavras miqweh e tiqwa – que também são traduzidas por esperar ou esperança explicam uma das maiores características da vida de fé que é esperar com certeza inabalável. Esperar com certeza inabalável, que significa: suportar pacientemente com uma confiante esperança de que Deus agirá decisivamente em favor da salvação de Seu povo: “A tua salvação espero, ó SENHOR!” (Gn 49.18). Esperar constitui a própria essência daquilo que somos, pois é com nossas almas que aguardamos no Senhor: “Aguardo o Senhor, a minha alma o aguarda, eu espero na sua palavra”. (Sl 130.5). A promessa que temos da parte do Senhor é que “os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam” (Is 40.31). Os que esperam no Senhor não são impedidos de servir ao Senhor em meio às dificuldades. Muito pelo contrário, são estes os que conseguem ver em todas as coisas a mão poderosa do Senhor e através desta compreensão renovam suas forças e dão andamento à vida e a obra do Senhor.

A fonte de toda a esperança para o povo de Deus é Ele mesmo. O profeta Jeremias consolou Judá desta forma, dizendo: “Há esperança para o teu futuro, diz o SENHOR”. (Jr 31.17).

No Novo Testamento - Os termos gregos, seja em forma de substantivo elpís – esperança, seja em forma de verbo – elpízo – ter esperança, quando usados pelos escritores do Novo Testamento, têm seu significado condicionado e determinado pela compreensão que existia nos dias do Antigo Testamento. O verbo  elpízo – ter esperança, é usado no sentido de uma esperança associada a uma expectativa de concretização do esperado. E essa esperança quando fixada em Deus engloba três aspectos principais: expectativa acerca do futuro, confiança e paciência. A definição de fé como a certeza das coisas que se esperam, como encontramos em Hebreus 11.1; segue esta mesma compreensão. A esperança bíblica possui Deus como seu objeto e confia exclusivamente NELE para alcançar o futuro esperado. A esperança em Deus exclui a possibilidade de se esperar em fatos que possam ser controlados por aquele que espera. Este é o motivo porque os autores bíblicos insistem na fórmula: espera no SENHOR.

Ter esperança é crer que no momento apropriado que Deus sabe qual é, o mal será vencido e transformado em bem. Ter esperança é confiar no Deus que concretiza o esperado. A esperança dá coragem para continuar a lutar e a enfrentar os problemas da vida.

A despeito de qualquer coisa que possa estar acontecendo na sua vida, declare: “Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá”. Observe que o profeta em sua declaração descreve três aspectos que nos levam a exata compreensão do que significa a esperança para aqueles que a fixam em Deus:

A visão – Olhar para o Senhor
A atitude – Ter a esperança no Deus da sua salvação
A fé – Depositada confiantemente no Deus que lhe ouve e lhe responde

O Deus eterno é a única fonte segura e confiável de esperança. Portanto, para esperarmos Nele, é preciso ter uma visão focada, uma atitude corajosa, e uma fé confiante.

Este é um tempo de esperança em sua vida! Mas, eu não consigo enxergar, tudo ao redor diz o contrário, mas é. Acredite não é amanhã, não foi ontem. Hoje é um tempo de esperança em sua vida se você crê no Deus que é a fonte confiável de esperança. Mas, e os meus problemas, e as crises, e as dificuldades. Em meio a tudo isso você pode ter esperança! O que está minando a sua esperança? Quem foi que disse que acabou? Quem disse que não vai passar?

As circunstâncias lhe impedem de ter esperança, o tempo demorado lhe impede de ter esperança, as crises lhe impedem de ter esperança, suas limitações lhe impedem de ter esperança, as vozes desanimadoras lhe impedem de ter esperança, então meu irmão, tenha uma visão focada, uma atitude corajosa, e uma fé confiante.

Hoje é tempo de esperança, olhe para o teu Deus, espere no Deus da tua salvação, ele te ouvirá, e ainda no tempo da tua aflição você terá ânimo, você terá paz, você permanecerá firme, pois ele renovará sobre sua vida a esperança, e essa esperança vai te sustentar poderosamente até o dia da concretização daquilo que você tanto espera.

Hoje é tempo de esperança!

Pr. Flavio Muniz

Um comentário:

  1. Tenho um blog que comecei agora, O Peregrino E Servo. Meu nome é António Batalha, passei e vi seu blog e gostei, quero deixar um convite: Gostava que fizesse parte de meus amigos virtuais no blog Peregrino e Servo, Isto é, se quizer. De volta retribuirei seguindo seu blog também, se desejar colucar meu banner no seu blog me avise. Obrigado.

    ResponderExcluir

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...