sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Uma fé perseverante - parte 2




(Mt 15.21-28) - Há algum tempo atrás a televisão veiculou uma propaganda onde se fazia a seguinte afirmação: EU SOU BRASILEIRO! E NÃO DESISTO NUNCA! Esta campanha visava aumentar a auto-estima do povo brasileiro, mostrando histórias de pessoas que superaram obstáculos e venceram na vida. No entanto, algo nos chamou a atenção e era comum em todas as propagandas, é que em todas as histórias retratadas, A PERSEVERANÇA era um fator preponderante para a superação.



O texto que nós lemos mostra uma história não somente de superação e milagre, mas nos mostra uma história de vitória por meio da fé, na verdade por meio de uma FÉ PERSEVERANTE. E quando nós falamos de fé, nós precisamos olhar para bíblia para aprendermos sobre a fé, e talvez você se pergunte: porque nós precisamos olhar pra bíblia para aprender sobre fé? A resposta é simples, a bíblia diz em Hb 12.2 que Jesus é o autor e consumador da nossa fé, ele não é somente o objeto de culto da nossa fé, ele é o amém da nossa fé, porque a consumou na cruz fazendo ratificar suas promessas sobre nós. “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio”. (2Co 1.20).

O que é a fé? Qual é a natureza da nossa fé? (Hb 11.1) - Nossa fé é baseada na Palavra, “certeza de coisas” e “ convicção de fatos” que já nos foram dados por promessa de Deus em sua maravilhosa palavra. Na verdade, podemos simplificar e dizer que: “a Fé é o título de propriedade daquilo que sabemos que possuímos, apesar de não o termos visto ainda”. A fé é a confiança das coisas que se esperam; a convicção daquilo que não se vê. É um estado de mente que dá a certeza de que aquilo que se espera será recebido eventualmente; é a convicção de que a Palavra de Deus é verdadeira ao falar de coisas que não podem ser vistas nem discernidas pela razão.

Eu poderia dizer também que: fé é crer que Deus não mentiu! Um fato muito interessante que precisamos saber a respeito da fé, é que: Deus nunca pediu que manifestássemos fé por algo que ele primeiro não nos tinha prometido fazer!  Certo escritor disse: “Deus trata com seus filhos assim: ele primeiramente nos dá uma promessa, e quando essa promessa produz fé no coração, ele a cumpre!”.

A fé que vem de Deus, se baseia na certeza da sua vontade. E conhecer sua vontade é a base da nossa certeza. A fé se baseia no fato de que Deus falou. Sem a revelação, pode haver imaginação, mas não pode haver fé. Pode haver filosofia, mas não pode haver fé.

Ouça Isso com atenção: A fé dirá a respeito de si mesma tudo quanto a Palavra diz, porque a fé em Deus é simplesmente fé na sua palavra. E fé na palavra significa, que se ela diz que Deus suprirá todas as minhas necessidades, então Deus assim fará, se ela diz que Deus é nosso escudo, então ele vai nos proteger, se ela diz que ele é o meu pastor, então nada vai me faltar etc.

E porque trazer a luz a definição da fé bíblica descrevendo sua natureza? É porque nós temos visto vários tipos de fé que não se coadunam com a fé bíblica:

1- A fé natural
2- A fé no pastor
3- A fé na religião
4- A fé ritualística
5- A fé infantil
6- A fé consumista

Mais existe um tipo de fé que agrada a Deus, esta é a FÉ PERSEVERANTE. Fé perseverante é a fé daqueles que realmente conhecem a Deus e alcançam vitórias e testemunhos inigualáveis, esta é a fé dos heróis da fé citados em Hebreus 11 – Abel, Abrãao, Moisés, Noé, etc.

Perseverar é conservar-se firme, constante e inabalável. Perseverar é prosseguir, é persistir, é continuar. Perseverar é ser persistente. A Bíblia nos fala bastante sobre perseverança:

Quando se refere à salvação – “É na vossa perseverança que ganhareis a vossa alma”. (Lc 21.19).

Quando se refere a carreira cristã – “...corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta (Hb 12.1)

Quando se refere à batalha espiritual – “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”. (Ef 6.18).

Quando se refere às virtudes cristãs – “por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; (2Pe 1.5-6).

O texto que lemos em Mateus 15 nos ensina a como exercermos uma fé perseverante em meio as várias situações que a vida nos apresenta. Não basta sermos cristãos e termos fé, nós precisamos saber confessar a nossa fé através de um exercício diário de vivência dentro das experiências que Deus nos proporciona. Essa mulher Cananéia do texto nos ensina muito sobre a perseverança, a como vencer com uma fé perseverante:

Na primeira mensagem nós falamos sobre a perseverança que ela teve em meio ao aparente silêncio de Deus, pois o (vs 23) nos mostra que Jesus mesmo depois do seu clamor se calou temporariamente, depois também falamos sobre a capacidade da sua perseverança mesmo quando foi rejeitada pelas pessoas, pois nos diz o (vs 23) que os discípulos a desprezaram por motivos de cunho espiritual, moral e cultural.

Para refrescar a sua memória deixa eu lhe dizer que: O Evangelho de (Mc 7) diz que Jesus conseguiu uma casa para repousar na região de Tiro e Sidom. Aliás, esta foi uma das poucas vezes que Jesus se ausentou da Palestina. Fato é que Ele não queria ser incomodado por ninguém, mas uma mulher ouviu dizer que ele estava ali e no bom sentido resolveu acabar com o seu sossego. Ela vai até o Senhor Jesus com um problema que afligia sua vida familiar, pois sua filha estava horrivelmente endemoninhada. Ela se apresenta diante do Senhor com um clamor por ajuda. Segundo Marcos ela se prostra, se rende, em total adoração, e clama (Mt 15.22). Mas, surpreendentemente Jesus não lhe responde palavra alguma, ele fica em silêncio (Mt 15.23). O texto também nos mostra que quando aquela mulher foi até Jesus ela foi desesperadamente clamando, gritando, e o seu grito ecoava como ensurdecedor: “Jesus filho de Davi tem compaixão de mim, minha filha está horrivelmente endemoninhada”.  O mestre a princípio não respondeu palavra alguma, mesmo que ela estivesse utilizando a expressão: “filho de Davi”. E este título “filho de Davi” os judeus reservavam somente para o legítimo Rei de Israel.
Veja bem, uma Cananéia não aceitaria facilmente chamar alguém assim. Até pelo fato de ser mulher e gentia, ela não deveria nem chegar perto de um judeu. Porém esta mulher era diferente, ela resolveu romper a barreira cultural e religiosa, se prostrar aos pés de Jesus e lhe suplicar dizendo: “Jesus filho de Davi, tem compaixão de mim”. Sua oração foi muito simples, porém ela demonstrava ter uma grande fé! Fé esta que não foi compreendida e digerida pelos discípulos que pediram a Jesus que mandasse ela embora porque eles já não agüentavam mais os seus berros. Eles a rejeitaram por completo, pois para eles existiam coisas mais importantes do que aquela mulher gentia.

Esta mulher possivelmente era viúva, solitária, com um grande problema para resolver (sua filha endemoninhada). E agora ela vê tudo o que lhe restava de precioso na vida sendo perdido, e por isso esta mulher estava sofrendo muito. Ela via sua única filha padecendo sob o poder diabólico, sofrendo de um mal que os médicos não sabiam curar, sendo envergonhada, não podendo viver de modo perfeito e intenso: estudar, brincar, etc.

Na mensagem de hoje nós falaremos sobre a sua perseverança em meio às provas da vida e também da capacidade de sua perseverança mesmo quando colocada numa condição de humilhação.

Perseverança em meio às provas da vida – “Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel”. (Mt 15.24)

Depois do silêncio perturbador do Senhor Jesus no (vs 23), Ele resolve falar alguma coisa. Mas, percebemos que suas palavras aquela mulher foram mais duras do que seu próprio silêncio (Mt 15.24). A palavra do mestre parecia ser uma palavra de exclusão, pois ela não pertencia ao povo de Israel para quem ele fora enviado. Que palavra dura não é verdade! Mas, se tivermos um olhar sob o texto com percepção realmente bíblica e prisma divino, veremos que na verdade Jesus queria provar a sua fé. Tanto isso é verdade que o (vs 25) nos informa que ela não desistiu. Entenda, em nenhum momento aquela mulher pensou que Jesus não lhe dava ouvidos ou que Ele não tinha poder suficiente para fazer o que ela estava pedindo. Pelo contrário, sua fé perseverante e o amor profundo por sua filha, a impulsionava cada vez mais a crer confiadamente de que ele era poderoso para libertar sua menina.

A Bíblia é clara em afirmar que o Senhor nos desafia a uma vida de perseverança em meio às provas da vida, nos prometendo que a perseverança é uma das virtudes cristãs que quando bem desenvolvida nos aperfeiçoa na carreira cristã, nos tornando eficientes no exercício diário da nossa fé em Deus – “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes”. (Tg 1.2-4).

A que tipo de provas o Senhor o tem submetido? Na área financeira, profissional, familiar, espiritual, moral etc.

Muitas vezes é preciso entender a caminhada cristã como uma corrida de obstáculos. Somos instados a correr com perseverança – “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta” (Hb 12.1).

Na carreira cristã que nos está proposta corrermos com perseverança - Os obstáculos muitas vezes não são retirados, e em alguns casos são colocados pelo próprio Senhor para testar e provar a nossa resistência em fé. Hoje o que mais a igreja precisa como um todo é de pessoas maduras e comprometidas com os valores e as virtudes do Reino de Deus que possuam uma capacidade de serem perseverantes em meio às provas que Deus trás.

“sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria”. (Cl 1.11).

Quantos cristãos, por muito menos do que aconteceu com esta mulher, desistem da caminhada cristã e abandonam o convívio da igreja, a comunhão com os irmãos e com o Senhor. As Escrituras nos desafiam e nos estimulam a uma vida de perseverança até o fim de nossa caminhada cristã – “Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima”. (Hb 10.23-25).

Perseverança mesmo numa condição de humilhaçãoDiante da réplica perseverante daquela mulher (vs 25), Jesus responde: “Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. (Mt 15.26). Veja, depois do teste de exclusão, ele pronuncia uma palavra de humilhação. Na verdade ele se vale de um provérbio corrente na época. Alguns estudiosos dizem que aqui ele utiliza uma suave ironia. Pão dos filhos – os judeus; Cachorrinhos – os gentios. Você sabia que este termo “cachorrinho” era usado pelos judeus para se referirem aos gentios, porque eles consideravam que os povos pagãos não valia mais do que um cachorrinho, quando se tratava de receber a benção de Deus.

No entanto, aquela mulher humildemente resolve assumir a sua condição de não participante da nação de Israel, das alianças da promessa e das bênçãos de Deus, com o propósito único de perseverar até o fim intercedendo por sua filha.

Tente entender o que pensava esta mulher diante daquela palavra humilhante, mas ao mesmo tempo desafiadora de Jesus, eu creio que ela pensou assim: vou fazer o quê? Voltar pra casa com minha filha endemoninhada, mesmo sendo humilhada, ou vou continuar em frente de cabeça erguida, diante de um Deus que é confiável, justo, e fiel em todas as suas promessas?

Deixa-me abrir um parêntese - Deus não humilha ninguém, mas muitas vezes suas ações diante dos nossos olhos soam como humilhações, quando na verdade continuam sendo provações e desafios para exercitarmos a perseverança, e o exercício saudável da nossa fé perseverante.

“Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte” (1Pe 5.6)

Diz-nos a Bíblia que ela escolheu a segunda opção, ela resolveu continuar perseverando no Senhor que ela tinha encontrado - “Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. (Mt 15.27).

Tem noção da fé desta mulher? Para mim o testemunho de fé desta mulher é como o do centurião de (Lc 7) , pois quando Jesus diz ela no (vs 28) grande é a tua fé, e faça-se contigo como queres – Na verdade poderíamos dizer o que Jesus disse aquele centurião: Jamais vi em Israel fé como esta.

É a insistência que faz as pessoas apertarem o controle remoto com mais força quando a pilha está fraca! Você já notou isso?

Por perseverar, por exercer sua fé perseverante, ela é milagrosamente recompensada – “Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã”. (Mt 15.28)

Quem sabe você hoje está abatido, pra baixo, se sentindo enfraquecido, desanimado, porque as pessoas ao seu redor não compreendem sua luta, não aceitam que isto que você está passando é uma prova da parte de Deus, não querem que você continue lutando perseverantemente. O Senhor lhe diz: não desanime, não se atemorize, credes em Deus. Os heróis da fé obtiveram as promessas em meio a muita luta e perseverança. A gota d’agua não cava a pedra pela força, mas por quedas frequentes.

A Bíblia diz que aqueles que são da fé não retrocedem, a bíblia diz que nós andamos pelo que cremos e não pelo que vemos. Não se importe se os outros não compreendem sua fé. Aliás não tente fazer que eles entendam. Lembre-se as coisas espirituais se discernem espiritualmente, o homem natural não consegue discerni-las. Continue firme, olhando para o alto, confiando no fiel, esperando no Eterno.

Prossiga, continue, persista, persevere. Se aquela mulher gentia se desanimasse em meio às provas e desafios que a ela foram colocados, ela não alcançaria do Senhor o seu milagre. Ela iria parar no meio do caminho e continuar a contemplar sua filha sendo envergonhada pelo diabo. Uma fé perseverante compreende que as provas aperfeiçoam e nos tornam eficientes, uma fé perseverante rompe as barreiras do impossível, uma fé perseverante suporta habilmente os desafios. Uma fé perseverante persiste em meio aos obstáculos e entraves do caminho para se alcançar a benção, o milagre, a promessa.

Para terminar com uma história: Thomas Edison fez mil experiências para conseguir inventar a lâmpada. Um jovem repórter perguntou o que ele achava de tantos fracassos. Edison respondeu: "não fracassei nenhuma vez. Inventei a lâmpada. Acontece que foi um processo de 1.000 passos." E assim foi que, de experiência em experiência, ele conseguiu a incandescência dos filamentos da lâmpada elétrica. Isso tudo porque ele não desistiu diante dos inúmeros insucessos. Pense nisso! E se você já tentou várias vezes e não deu certo, tente outra vez!

Pr. Flavio Muniz

Um comentário:

  1. GLORIA DEUS , ALELUIA, LOUVADO SEJA TEU SANTO NOME PARA TODO SEMPREEEEEEE SANTO, SANTO SANTO É O SENHOR NOSSO DEUS GRANDE E PODEROSO, JUSTO , FIEL, VERDADEIRO, UM DEUS QUE CURA , QUE LIBERTA , QUE RESTAURA, QUE TRANSFORMA. AMÉM

    ResponderExcluir

Conteúdo de qualidade

Palavra de Nova Vida - Pr. Flavio Muniz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...